AcontecendoCassinos-Resorts ganham força no Ministério do Turismo

Cassinos-Resorts ganham força no Ministério do Turismo Da Redação Com Assessoria Havia um tempo em que a alta sociedade brasileira se encontrava nos luxuosos Cassinos espalhados pelo país. Na “Era de Ouro dos Cassinos” (décadas de 30 e 40), funcionavam mais de 70 casas de apostas. Luxuosas e cheias de glamour, passaram a ser proibidas em 1946, quando o general Eurico Gaspar Dutra, com o argumento que a “tradição moral, jurídica e religiosa” do brasileiro...
Avatar A Comarca18 de setembro de 2018

Cassinos-Resorts ganham força no Ministério do Turismo

Da Redação

Com Assessoria

Havia um tempo em que a alta sociedade brasileira se encontrava nos luxuosos Cassinos espalhados pelo país. Na “Era de Ouro dos Cassinos” (décadas de 30 e 40), funcionavam mais de 70 casas de apostas. Luxuosas e cheias de glamour, passaram a ser proibidas em 1946, quando o general Eurico Gaspar Dutra, com o argumento que a “tradição moral, jurídica e religiosa” do brasileiro é incompatível com os jogos, surpreendeu o país com um decreto-lei ordenando o fim delas.

Com o passar do tempo e a chegada da internet, é possível se divertir em jogos caça-níqueis e roletas sem andar fora da lei. Empresas de jogos de cassino online, como a Vera&John e outros sites, disponibilizam jogos online grátis aos seus clientes. Único meio legal de se jogar morando no Brasil.

Mas esse cenário deve mudar! Seguindo exemplos como Las Vegas e Singapura, cidades que aproveitaram o cassino para alavancar seu turismo e faturar alto gerando empregos, já há uma discussão sobre a legalização dos cassinos integrados a resorts no Brasil.

A Las Vegas Sands Corp, grupo internacional que possui resorts integrados em Macau, Las Vegas e Singapura, realizou um estudo de impacto econômico e revelou que essa atividade gerará mais de 400 mil empregos diretos e indiretos e o valor injetado no país poderá chegar a R$ 50 bilhões.

Há uma estimativa que os jogos ilegais movimentem cerca de R$ 20 bilhões. Com a legalização dos jogos e aquecimento do setor com propagandas e turismo, esse número chegaria à casa dos R$ 50 bilhões.

Com uma fiscalização mais rígida sobre a exploração do jogo, diminuindo a corrupção de agentes que ‘tomam conta’ de casas clandestinas, aumento do turismo, vagas de emprego no país e havendo um controle desses impostos, hoje sonegados, os cofres do país agradeceriam essa aprovação.

 

Quer falar com a gente?

Avenida Gilberto Filgueiras, 1402
Avaré / SP - CEP. 18706-240

E-mails:
j.acomarca@gmail.com
comercial@jornalacomarca.com.br

14 3733.2023 / 3733.2633

Assine já! 14 3733 2023

Jornal A Comarca, 2019 © Todos os direitos reservados