AcontecendoDestaqueCom falta d’água em casa, moradora aproveita vazamento na rua para encher o balde

Pelo menos cinco bairros foram afetados no final de semana prolongado do aniversário da cidade
A Comarca25 de setembro de 2020554 min
https://www.jornalacomarca.com.br/wp-content/uploads/2020/09/falta-de-agua-vazamento-3.jpg

O problema no abastecimento de água na cidade é antigo e a situação se agrava ainda mais em época de calor. Foi o que ocorreu no final de semana prolongado do aniversário de Avaré, quando pelo menos cinco bairros foram afetados e ficaram praticamente três dias sem água nas torneiras.

O assunto foi comentado na última sessão de câmara pelo vereador Jairinho do Paineiras (PTB), que mostrou imagens e áudios de moradores que sofreram com a falta d’água durante o feriado. Uma moradora filmou e mostrou o que teve de fazer para enfrentar o problema, como esquentar água no fogão para que uma pessoa idosa pudesse tomar banho. Ela também mostrou a pia da cozinha com a louça toda amontoada.

Ao mesmo tempo em que apresentava o problema ao vereador, a moradora mostrou um lado irônico nessa história. Havia um vazamento de água limpa na rua em que ela mora, onde ela aproveitou para encher o balde e levar para casa para poder fazer os afazeres domésticos.

“NÃO RESOLVE NADA” – Ainda em seu pronunciamento, o vereador Jairinho colocou o áudio gravado por ele contendo a conversa que teve com o funcionário do atendimento via telefone. “Na mesma hora que soube do problema liguei para a Sabesp, mas esse atendimento deles não resolve nada. Os moradores já estavam há quase dois dias sem água”, disse o vereador.

Na gravação apresentada por Jairinho o funcionário da empresa Sabesp confirma que realmente a cidade estava com o abastecimento de água comprometido em pelo menos cinco bairros, mas que até a noite (do dia 12 de setembro, um sábado), o problema seria gradualmente restabelecido. “Foram quase três dias sem água. Se a bomba que queimou é velha e não está atendendo a demanda, é obrigação da Sabesp trocar esse equipamento. Essas pessoas que me enviaram vídeos e áudios deram autorização para que eu viesse aqui expor isso para ver se a Sabesp tome ciência do que vem acontecendo em vários bairros, como Paraíso, Vila Operária, Terras de São José. Se o equipamento não supre a população eles têm que se adequar”, concluiu Jairinho.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *