DestaqueGeralFalta de pagamento gera demissão de 21 trabalhadores da conservação da cidade

Os trabalhadores, além disso, também realizam serviços de capina e roçada em outras áreas do perímetro urbano; empresa terceirizada alega estar há dois meses sem receber os pagamentos, acertados em contrato, da Prefeitura
Reportagem5 de julho de 20244 min
https://www.jornalacomarca.com.br/wp-content/uploads/2024/07/WhatsApp-Image-2024-07-04-at-16.08.39.jpeg

A suposta falta de dinheiro nos cofres da Prefeitura de Avaré causou, recentemente, a quebra de contrato com empresa terceirizada para realização de serviços na cidade. Desta vez, conforme detalhado à reportagem do jornal A Comarca nesta semana, a situação atingiu a Ecosystem Serviços Urbanos Ltda, firma com sede na cidade de Curitiba/PR e filial em Barueri, que subloca trabalhadores para a realização os trabalhos de manutenção nas praças públicas, além de roçada e capina em demais espaços urbanos avareenses. O problema foi denunciado por um dos funcionários atingidos pelo corte.

Segundo o depoimento ao qual a reportagem do jornal A Comarca teve acesso, o contrato da Prefeitura com a empresa foi renovado, recentemente, para atuação na cidade por mais um ano. “Todos os funcionários estavam contentes por essa renovação. Sabíamos que a Prefeitura não pagava os serviços há dois meses, mas mesmo assim, quando o contrato foi renovado, ficamos esperançosos em manter nossos empregos”, disse um dos funcionários consultados. “Agora, para a nossa surpresa, a firma chamou a todos e nos alertou que passaremos a cumprir aviso prévio para posterior rescisão”, destacou. A Ecosystem mantém 21 funcionários terceirizados em Avaré. A rescisão do acordo firmado com a Prefeitura de Avaré se deve diretamente às constantes faltas de pagamento dos trabalhos realizados. “Vamos trabalhar até o próximo dia 26. Caso os pagamentos sejam retomados, a empresa deixou claro que voltaremos a nossos postos de trabalho. São 21 famílias que podem ficar, do dia para a noite, sem emprego e maneiras de se sustentar. Nem todos os funcionários estão em uma situação mais controlada: eu, por exemplo, tenho, muitos compromissos por mês e, se não fosse minha esposa também estar trabalhando, não sei como faria”, lamentou o funcionário. “Muitas pessoas, no entanto, estão desesperadas, pois não têm expectativas de conseguir um novo trabalho rapidamente”, reafirmou ele.

A Secretaria de Transportes e Serviços foi questionada, pela reportagem quanto ao problema. Foram solicitadas informações sobre a falta de pagamento dos serviços dos últimos dois meses, além da regularidade do contrato firmado e a possibilidade de uma retomada do vínculo com a Ecosystem Serviços Urbanos Ltda, bem como o montante da dívida com a firma nos dias atuais. No entanto, a secretaria responsável não respondeu às questões até o fechamento desta edição. Caso sejam enviadas, as respostas serão publicadas posteriormente.

Comente

Seu endereço de e-mail não será publicado. Required fields are marked *