Ícone do site Jornal A Comarca

Projeto que altera carga horária de professor com acúmulo de função é adiado

O projeto de lei nº 28/2021de autoria do prefeito Jô Silvestre, protocolado para ser votado em caráter de urgência na Câmara, acabou adiado na sessão de segunda-feira (8)devido à polêmica criada em torno do assunto.

O PL altera o inciso 1º do Artigo 53 da Lei Municipal que dispõe sobre o Estatuto do Magistério Municipal, legislação que foi aprovada em 3 de maio de 2016. O inciso estabelece que “a somatória da jornada semanal dos cargos acumulados na rede municipal de ensino do município de Avaré não pode exceder o limite de 70 (setenta) horas”.

Na justificativa dada pelo prefeito Jô Silvestre, “a alteração se faz necessária a fim de adequar a legislação municipal  ao entendimento dos tribunais superiores, de que o limite máximo suportável pelo servidor em acumulação de cargos e que garanta a sua qualidade de vida e a eficiência na prestação do serviço público é uma carga horária semanal que não ultrapasse as 60 (sessenta) horas”.

A alteração gerou dúvidas na maioria dos vereadores da bancada de oposição, pois praticamente todos se posicionaram em defesa dos professores da rede municipal sob alegação de que o projeto de lei vai acarretar prejuízos em quem acumula cargos.

LEIA MAIS SOBRE ESTE ASSUNTO NA EDIÇÃO IMPRESSA DO JORNAL A COMARCA QUE CIRCULA NESTA SEXTA-FEIRA, 12 DE MARÇO

Sair da versão mobile