GeralRegiãoMalha ferroviária da região de Avaré não está na lista de investimentos do Governo de SP

Modernização da ferrovia paulista realizada pela Rumo vai beneficiar 72 municípios e minimizar conflitos entre trilhos e zonas urbanas
A Comarca23 de outubro de 2020878 min
https://www.jornalacomarca.com.br/wp-content/uploads/2020/10/ABANDONO-3.jpg

O Governador João Doria anunciou na segunda-feira (19) investimentos de R$ 6 bilhões na reestruturação da malha ferroviária de São Paulo. O anúncio faz parte do Retomada 21/22, plano anunciado dia 16 para impulsionar a economia do estado. A modernização vai gerar 134 mil empregos diretos e indiretos ao longo da concessão. Grande parte das obras deverá ser concluída nos seis primeiros anos e vai proporcionar a expansão de capacidade da ferrovia de 35 milhões para 75 milhões de toneladas por ano.

Entretanto, o que era esperado por muitas cidades da região de Avaré não foi anunciado, que seria investimento na malha ferroviária no trecho que passa pelo município, muito utilizado por trens de passageiros em décadas passadas. Muitos acreditavam que poderia ocorrer investimento no trecho da malha entre Botucatu e Ourinhos.

Ao longo dos últimos anos, até mesmo um grupos de pessoas interessadas na retomada do uso dos trilhos por trens turísticos foi formado, o “Renascer Ferroviário”, que possui projetos viáveis para reestruturação da malha ferroviária regional. Na Câmara Municipal de Avaré, por exemplo, são inúmeros os requerimentos feitos pelos vereadores em apoio ao grupo, bem como pedidos de fiscalização nas áreas que margeiam a linha férrea que estão sendo invadidas com moradias em praticamente todas as cidades servidas pela ferrovia.

MODERNIZAÇÃO –  “É a maior ampliação do transporte ferroviário do estado de São Paulo dos últimos 50 anos e é o primeiro grande anúncio do plano de retomada da economia 21/22. Estão previstas duplicações, reativações de trechos inativos, ampliação de pátios e modernização total da ferrovia”, disse Doria. “Esta ação solidifica a posição do estado de São Paulo como principal corredor de exportação do agronegócio brasileiro, levando desenvolvimento e geração de emprego e renda para o estado de São Paulo e, obviamente, gerando benefício concreto para todo o país”, completou o Governador.

O empreendimento será realizado pelo Grupo Rumo Logística. Os investimentos na nova malha ferroviária vão atender 72 municípios paulistas. Ao todo, cerca de 5 milhões de pessoas serão beneficiadas com mais segurança viária. Entre as cidades, estão Campinas, Catanduva, Cubatão, Limeira, São Carlos, São José do Rio Preto e Votuporanga.

A Malha Paulista forma junto com a Malha Norte o principal corredor de exportação do agronegócio brasileiro. Essas duas malhas conectam a cadeia produtiva do Centro-Oeste do País ao Porto de Santos. Com os investimentos anunciados em São Paulo, serão recuperados dois ramais desativados: Colômbia-Pradópolis (185,6 km) e Panorama-Bauru (369,1 km), que cortam o estado em direção ao Porto de Santos. No primeiro caso, o ramal passa por entroncamentos logísticos em Bebedouro e Barretos; no segundo, atravessa cidades como Bauru e Dracena.

“Com os investimentos e modernização da Malha Paulista, São Paulo volta ao protagonismo como principal eixo de ferrovia do país”, destacou João Alberto Abreu, Presidente da Rumo.

O sistema de logística e a eficiente distribuição dos produtos do estado de São Paulo são parte fundamentais do desenvolvimento econômico do País em qualquer época, e ganha importância ainda maior a partir de agora, para ampliar o desenvolvimento econômico de São Paulo e do País.

A malha administrada pela Rumo conecta todas as regiões do estado com um conceito de multimodalidade, tendo integração com a hidrovia Tietê-Paraná e com a malha rodoviária estadual. “Investir cada vez mais no nosso sistema de logística e transportes é o caminho para gerar empregos, reduzir o custo de transportes e contribuir para o desenvolvimento econômico do Brasil. Estamos trabalhando na reestruturação de uma nova matriz logística de São Paulo, que vai oferecer modelos mais eficientes para a movimentação de cargas e mercadorias, com a integração do vários meios e modais, garantindo, assim, maior agilidade e também maior segurança”, afirmou Priscila Ungaretti, Secretária Executiva de Logística e Transportes.

A Malha Paulista é uma das mais diversificadas do País, sendo responsável pelo transporte de soja, farelo de soja, milho, açúcar, combustíveis, fertilizantes, celulose, minérios e contêineres.

BENEFÍCIOS – O trem é a opção mais sustentável em longas distâncias. Enquanto um trem com 100 vagões emite 15,82 g de CO2/ eq TKU (tonelada quilômetro útil), um caminhão emite 100 g. São necessários 357 caminhões para substituir um trem com o número de vagões citado.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *