CulturaDestaqueMuseu Municipal de Avaré ganha página oficial no Facebook

Tudo o que acontece no espaço histórico pode agora ser conferido virtualmente
A Comarca6 de julho de 2020378 min
https://www.jornalacomarca.com.br/wp-content/uploads/2020/07/museu-anita-2.jpg

O Museu Municipal Anita Ferreira De Maria estreou oficialmente uma página no Facebook, onde os internautas poderão acompanhar a partir de agora tudo o que acontece no espaço de preservação da história de Avaré, de modo virtual.

O Museu tem como diretor o jovem Gesiel Theodoro da Silva Neto, formado em história, autor da ideia da criação da página. “Como as visitas ao local cessaram devido a pandemia, resolvemos levar o Museu ao Facebook, oferecendo as pessoas a oportunidade de conhecer o Museu, mesmo que virtualmente”, destaca Neto. Para acessar a página, basta acessar o link https://www.facebook.com/MuseuAnitaFerreiraDeMaria/.

HISTÓRIA – O Museu Municipal, que leva o nome da poetisa e cronista que é sua fundadora, foi criado em 1972 e municipalizado em 2018. Reúne em seu acervo objetos relacionados à fundação da cidade, aos pioneiros, à cafeicultura, à ferrovia, ao ciclo do algodão, meios de comunicação, cinema, fotografia e cotidiano, formando um conjunto de bens culturais produzidos pela sociedade avareense e que por eles é representada. No espaço do Museu mensalmente são organizadas e realizadas exposições itinerantes dos mais diversos temas, bem como oficina de História e visitas monitoradas, a fim de despertar nos estudantes e no visitante o interesse por preservar, pesquisar e difundir a história, os valores culturais e identitários de Avaré e seu povo. O Museu ainda engloba em suas instalações o Acervo Fotográfico “Joaquim Tininho Negrão” e o Memorial Djanira. O acervo fotográfico conta com uma variedade de imagens que exibe diferentes períodos da história avareense e de seus pontos turísticos. Já no Memorial Djanira, idealizado para preservar aspectos da vida e da obra da pintora Djanira Motta e Silva (1914-1979), avareense de renome internacional, o visitante encontra expostas peças originais do ateliê da grande artista plástica, além de algumas de suas pinturas, serigrafias e xilogravuras, bem como itens pessoais e premiações.

O Museu Municipal se localiza no bosque da CAIC, em frente à Biblioteca Municipal.

PATRONESSE – O nome Anita, em Avaré, é o mais perfeito sinônimo para poesia. Há três décadas os versos de nossa consagrada poeta cessaram de fluir de sua mente criativa, pois o seu coração inflamado parou de palpitar na primavera de 1990.

A obra dessa avareense notável, entretanto, resiste por ter sido lavrada em meio aos verdes cafezais. E porque floresceu nas páginas da literatura paulista descrita inteiramente como Anita Ferreira De Maria.

Nascida há mais de um século, a premiada autora tornou-se símbolo da mulher forte e vibrante ao conseguir romper alegremente estruturas e costumes de uma sociedade machista.

E mais: Anita inovou pela sua expressiva maneira de falar, de compor, de agir e de se vestir.

Em vida, Anita publicou nove livros, a começar por “Ânfora de Sonhos” e “Azul Noturno” nos quais suas poesias comoveram tantos leitores.

Depois reuniu crônicas em “Momento Musical”, cuja ilustração de capa foi feita especialmente pela pintora Djanira, sua particular amiga.

“Com uma Rosa na Mão”, editado em 1959, conferiu a Anita uma láurea internacional: o prêmio do Pen Club, instituição que congrega escritores do mundo inteiro, com sede em Londres.

Sua antologia poética “Sempre é Tempo de Rosas”, de 1961, serviu de tese de pós-graduação para o pesquisador avareense Ubirajara Araújo Moreira, na Universidade Católica do Paraná.

Contemporânea de Gabriel Marques, Israel Dias Novaes, José Herculano Pires, José Leandro Franzolin e Cláudio Cortez, importantes intelectuais de Avaré, Anita mantinha correspondência com personalidades do mundo político, científico e literário, como o astronauta Yuri Gagarin, a primeira-dama norte-americana Jacqueline Kennedy e o escritor baiano Jorge Amado.

Publicou ainda o “Livro de Anita”, obra autobiográfica, além do jogral “Avaré em Dois Tempos” e das coletâneas “Sinfonia em Dor Maior” e “Mansarda de Boêmios”, volumes de poemas e crônicas.

Eleita para a Academia Piracicabana de Letras, Anita fez parte também da Sociedade Brasileira de Geografia e do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. E por mais de 10 anos presidiu a Comissão Municipal de Cultura.

Jornalista profissional, atuou como correspondente da “Folha de S. Paulo” entre as décadas de 50 e 70. Colaborou como cronista do jornal “O Avaré” e de outras publicações da época.

Oportuna, portanto, é a releitura de sua extensa obra poética, através de iniciativas como a que aconteceu em 1985, quando poetas da cidade se uniram para homenagear Anita numa semana de estudos.

Atualmente, por iniciativa da Secretaria Municipal da Cultura, surgiu o Centro Literário Anita Ferreira De Maria, grupo de novos poetas e escritores dedicados ao estudo da vida e da obra da “Poeta das Rosas”, os quais mensalmente editam um suplemento poético.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *